Radiologia intervencionista melhora qualidade de vida de pacientes oncológicos

Tecnologia otimiza processos, produtos e beneficia desfecho de pacientes com câncer de fígado

São Paulo (SP), 10 de julho de 2019 – A evolução da medicina diagnóstica quebra as barreiras e chega ao tratamento de diferentes patologias. É o que vem acontecendo na radiologia intervencionista, subespecialidade médica que utiliza características e conhecimentos da medicina diagnóstica – mais precisamente da radiologia – para tratamento de doenças diversas.

Hoje, hospitais de referência já investem em uma combinação que possibilita novas chances de tratamento a pacientes com enfermidades graves como, por exemplo, o câncer de fígado. Ao unir a competência de equipamentos de radiologia, ultrassonografia e tomografia computadorizada com a instrumentação cirúrgica, esses profissionais chegam à realização de procedimentos bastante eficazes como a quimioembolização transarterial, também conhecida como TACE.

Técnica minimamente invasiva, a quimioembolização convencional (cTACE) é a combinação da embolização – procedimento no qual o médico acessa e obstrui a artéria hepática nutridora do tumor, através da inserção de um cateter feita por um pequeno corte no interior da coxa do paciente – com a quimioterapia, injeção de um ou mais agentes quimioterápicos (anticancerígenos) junto com um carreador viscoso, como o Lipiodol®UF (óleo etiodizado usado como agente de contraste).

É uma intervenção que busca, além de ampliar o efeito do tratamento por permitir que o remédio quimioterápico seja aplicado diretamente no tumor, promover aumento do tempo de exposição local do fármaco pela presença do carreador viscoso. E, pelo processo de embolização em si, a técnica também impede a chegada do sangue que alimenta as células tumorais.

O procedimento, considerado de alta tecnologia, ganha ainda mais benefícios por conta dos investimentos em inovação feitos pelas indústrias de saúde. A Guerbet, empresa de origem francesa, pioneira no campo de meios de contraste e com mais de 90 anos de atuação no setor, conta agora em seu portfólio com o Vectorio®, um kit inovador de seringas e adaptadores que permite uma mistura segura e eficaz de fármacos em cTACE e a aplicação do produto que visa aumentar a sobrevida de portadores de câncer no fígado.

Figurando como uma das líderes neste mercado, a marca desenvolveu este kit que representa um importante avanço entre os descartáveis disponíveis no Brasil, pois as seringas são resistentes quando em contato com o Lipiodol®UF, o que confere um tratamento mais eficaz e sem perda de ativos do produto que realça as imagens.

Projetado com a colaboração de radiologistas intervencionistas de todo o mundo, o Vectorio® é dedicado à mistura e à administração de medicamentos anticancerígenos com o carreador viscoso Lipiodol®UF durante o procedimento da quimioembolização transarterial em pacientes adultos com carcinoma hepatocelular, tumor maligno primário que, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), é o mais frequente câncer de fígado ocorrendo em mais de 80% dos casos.

Solução precisa, amigável e segura, o Vectorio® é uma tecnologia que otimiza a realização de procedimentos guiados por imagem atuando, diretamente, na melhoria do prognóstico e da qualidade de vida dos pacientes. Trata-se de uma representação direta da utilização do conhecimento diagnóstico somado à alta tecnologia para melhoria dos tratamentos oncológicos.

Paralelamente, a quimioembolização transarterial vem sendo pauta de estudos científicos que afirmam se tratar de um método terapêutico minimamente invasivo, seguro e eficaz no tratamento paliativo do câncer primário de fígado, em estágio intermediário, em pacientes que não são candidatos à abordagem cirúrgica.