Inovação eleva qualidade e eficiência na medicina diagnóstica

Confira a entrevista com Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

06/03/2020

As empresas que atuam na área da saúde estão em busca constante de qualidade e eficiência. A chegada de novas tecnologias e o investimento em inovação permitiram à medicina diagnóstica a realização de exames em grande escala, em menor tempo, com mais qualidade e precisão, ofertando melhor atendimento ao paciente.

O salto dado pelo setor de medicina diagnóstica, que se diferencia de outras especialidades da medicina por adotar novas tecnologias mais rapidamente, é, na visão do presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Sidney Klajner, responsável por estimular o empoderamento do paciente e uma mudança radical na medicina atual.  

Na entrevista a seguir, ele comenta a importância da tecnologia e das inovações para medicina diagnóstica, os desafios do financiamento da incorporação tecnológica e da redução dos custos para ofertar exames de ponta acessíveis. Confira!

Abramed em Foco – Quais as vantagens, resultados e impactos do Núcleo Técnico Operacional do Laboratório Clínico do Albert Einstein, inaugurado em 2019?

O Núcleo Técnico Operacional concentra a maioria dos exames de análises clínicas da rede ambulatorial do Einstein e de outras instituições que contratam o nosso serviço de medicina diagnóstica. O projeto recebeu um investimento de cerca de R$ 50 milhões e abriga novos equipamentos, instrumentos e metodologias que permitem maior agilidade nos processos, redução de custos e aumento do portfólio de exames. Um dos grandes diferenciais é a utilização da esteira de automação, que reúne, em uma mesma estrutura, equipamentos capazes de realizar exames de bioquímica, imunologia, hematologia e biologia molecular. Trata-se da primeira experiência mundial de integração de equipamentos de diferentes fabricantes em uma só esteira. De início, serão 20 analisadores integrados, podendo chegar a 29, caso a demanda por exames laboratoriais aumente.

Para este ano, está prevista a segunda etapa da ampliação dos laboratórios de técnicas moleculares e de sequenciamento genético, além da incorporação da área técnica do laboratório Genomika relacionada à medicina de precisão. Essas mudanças também facilitarão a maior interação com as áreas de Pesquisa e Inovação.

Abramed em Foco – De que forma as novas tecnologias e a telemedicina impactam no acesso ao atendimento, na experiência do paciente e na possibilidade de diagnósticos precoces? 

Muitas tecnologias surgem para empoderar o paciente e melhorar a comunicação com seu médico. Um exemplo é o aplicativo Meu Einstein, lançado em 2016. Ele permite ao paciente agendar e fazer check-in em consultas e exames, checar seus resultados, monitorar dados de saúde e solicitar coleta domiciliar, entre outras funcionalidades.

Já sobre a telemedicina, uma das grandes vantagens do serviço, tanto para pacientes quanto para hospitais, é colocar o paciente certo no lugar correto. O atendimento de urgência por meio da modalidade evita idas desnecessárias ao pronto atendimento, poupando o paciente do deslocamento até um hospital quando o caso pode ser resolvido sem que isso seja preciso e protegendo-o, ao impedir que ele se exponha em um ambiente hospitalar desnecessariamente. Para o hospital, uma das vantagens é poder destinar os leitos adequadamente, reservando-os a atendimentos para casos mais complexos.

Mas há outros benefícios. Um dos nossos programas, o de Teledermatologia, é um serviço com atendimento assíncrono, ou seja, que não é feito em tempo real. Ele consiste em uma análise virtual de diagnóstico dermatológico em união com o médico de família da Unidade Básica de Saúde.  Com isso, conseguimos zerar a fila pelo atendimento dermatológico na cidade de São Paulo em parceria com a prefeitura municipal. Foram, ao todo, 55 mil atendimentos na capital paulista em seis meses de projeto. Atualmente, o programa foi expandido para atuação em nível estadual.

Outro ponto positivo da prática é a possibilidade de levar conhecimento e expertise médica a regiões desprovidas de recursos mais sofisticados. Em um país de dimensões continentais como o Brasil, o atendimento por meio da telemedicina permite que um médico especialista que está em São Paulo atenda o morador de uma área sem estrutura para assistência adequada.

Um grande exemplo que temos em andamento é nosso teleatendimento a oito UTIs privadas e sete hospitais públicos por meio de uma parceria com o Ministério da Saúde. Nós conseguirmos prover a essas instituições visitas diárias de médicos especialistas em unidades de terapia intensiva e auxiliar no atendimento local. Como resultado, reduzimos a mortalidade neste tipo de internação e aumentamos o giro de leito.

Abramed em Foco – Comparando a medicina diagnóstica atual com a que era praticada na primeira década dos anos 2000, como vê essa evolução? 

A medicina diagnóstica que se pratica em 2020 é completamente diferente da que se praticava em 2010. Demos um enorme salto em apenas uma década. 

A área sempre teve a vocação da inovação, diferenciando-se de outras especialidades da medicina por adotar e popularizar novas tecnologias mais rapidamente. Até pela maior agilidade de validação e aprovação, testes diagnósticos laboratoriais e tecnologias de imagem acabam sendo incorporados à prática médica mais rapidamente.  

Por exemplo, em um passado relativamente recente, acompanhamos a rápida incorporação de técnicas de biologia molecular ao diagnóstico de doenças infecciosas e de métodos de imagem como a ressonância magnética. 

Nos últimos anos, vemos a aceleração desse processo de incorporação tecnológica, principalmente na área da medicina genômica e de precisão, o que tem instigado uma mudança radical na medicina atual. Os testes genéticos tornaram-se uma realidade. Eles possibilitam, por exemplo, a predição de risco de doenças como câncer ou enfermidades neurodegenerativas. Oncologia e neurologia, na verdade, são duas áreas bastante impactadas pela evolução dos testes genéticos.

Abramed em Foco – Quais as perspectivas da medicina diagnóstica? Quais são os principais gargalos no setor de saúde hoje?

Os grandes desafios ainda são o financiamento da incorporação de toda essa tecnologia e a mudança cultural dos profissionais. Tudo o que foi e está sendo desenvolvido traz enormes ganhos para a medicina, mas ainda carece de escalabilidade em nível do Sistema Único de Saúde (SUS). Muitas novidades ainda são inacessíveis para a maioria dos usuários do sistema de saúde público e mesmo do privado.

Uma das principais medidas para o futuro é tornar a medicina diagnóstica de ponta acessível. É prover os novos exames para todos os que deles necessitam. Isso passa por esforços para reduzir o custo da tecnologia, mas também por busca de modelos mais sustentáveis de atenção à saúde, em que os exames sejam prescritos quando realmente necessários. Dessa forma, evita-se o desperdício de recursos, além de poupar que o paciente se submeta a testes desnecessários.

Abramed em Foco – De que maneira a Abramed, como associação que congrega dentro da medicina diagnóstica hospitais, grandes grupos laboratoriais e até pequenas empresas que atuam no segmento, pode contribuir na solução desses problemas? 

A Abramed, como entidade que representa os principais players de medicina diagnóstica no país, pode contribuir para encontrar caminhos que tornem os exames diagnósticos mais eficientes e mais acessíveis. Uma das formas é continuar promovendo o diálogo com todos os atores envolvidos, sejam eles os pacientes, os principais interessados no tema, as empresas e o governo.

Abramed em Foco – O que a instituição espera da Abramed para vencer os desafios do setor para os próximos anos? 

Esperamos que a Abramed continue a fazer o trabalho primoroso que vem conduzindo desde sua fundação, oferecendo espaço para o debate e incentivando a busca de soluções que tornem o sistema da medicina diagnóstica mais acessível, sustentável e eficiente.

Abramed em Foco – Em 2020, a Abramed comemora 10 anos de atuação. Qual a importância da Associação para o setor durante esta década?

A Abramed representa as principais organizações de medicina diagnóstica que prezam pela prática baseada nas melhores evidências científicas, dentro de princípios éticos bastante rígidos e têm na satisfação dos seus clientes seu principal foco.

Dentro deste cenário, a Abramed é tanto um fórum de debates que congrega grandes líderes do setor, quanto um fornecedor para sociedade de soluções que criem alternativas de crescimento sustentável do setor, com o melhor desfecho para os pacientes. A Abramed também propicia coletarmos dados dessas organizações e do mercado de saúde e, com um trabalho analítico cuidadoso, oferece aos gestores contribuições estratégicas valiosas.

Por fim, por meio de seus vários grupos técnicos gera conhecimentos de fronteira para o setor de medicina diagnóstica, monitora e atua nos setores regulatórios para que a prática da medicina diagnóstica não se distancie de seu objetivo maior que é criar valor na cadeia de saúde e que o cidadão se beneficie sobremaneira de sua atuação.